Um caminho para aprovação na Justiça Federal


A seção “concurseiro aprovado” é um espaço para publicarmos histórias de pessoas que sonharam e já alcançaram um cargo público. Quer enviar a sua historia? Entre em contato conosco!

Vamos lá, segue a primeira história contada por um dos leitores do blog:

Olá amigos…

Hoje, a pedido de um grande amigo meu, estou aqui para contar a vocês um pouquinho minha caminhada nos concursos públicos. Caminhada essa, que até hoje, ainda não se encerrou.

Aos 17 anos de idade comecei a estudar para concursos públicos. Na época, não tinha a noção exata da tal “estabilidade” que hoje tanto se menciona quando se busca uma carreira pública. De qualquer forma, o tempo me mostrou que a decisão de adentrar na carreira pública foi algo acertado, haja vista a crise que atormenta nosso país, com cada dia mais notícias de desemprego.

Lá atrás, como todo concurseiro iniciante, queria ganhar bem e trabalhar pouco (kkk), porém, o tempo me mostrou que esse pensamento não deve nortear nossa vida. Nunca parei para contar, mas com certeza já fiz mais de 50 concursos públicos, dos mais variados órgãos (Prefeituras, órgãos estaduais e federais). Isso também traz uma constatação para quem se aventura nos concursos: São poucas aprovações para muitas reprovações. Porém, em cada reprovação, nos preparamos um pouco mais para a vitória. E as vitórias, ainda que poucas, são muito saborosas.

Não irei adentrar aqui nas dificuldades que encontrei em cada cargo que ocupei, mas posso dizer que todos nos moldam um pouco para a vida. Trabalhei nos Correios, na Prefeitura do Município onde moro e atualmente ocupo o cargo de escrevente no Tribunal de Justiça de São Paulo, concurso no qual fui aprovado duas vezes, o primeiro para trabalhar na Capital e o segundo no atual posto de trabalho no interior (Obs: em nenhum deles passei nas primeiras colocações). Também fui aprovado em alguns cargos em qual não assumi, como por exemplo, oficial de promotoria (algo equivalente ao escrevente do TJ/SP). De certa forma, pude perceber algo em comum nos cargos que ocupei: todo mundo reclama do seu emprego, não importa quão bom ele seja (inclusive eu… rs). Mas, ao contrário de muitos, eu reclamava e estudava. Acho que é por isso que hoje eu trabalho no Fórum e alguns amigos meus ainda estão na Prefeitura (sem demérito algum, foi a escolha deles).

O único conselho que eu poderia dar a quem está nessa jornada é: estudar, estudar e estudar. Isso representa 95% da aprovação. Os outros 5% representam a sorte, a técnica de fazer prova, a resolução de questões, o exercício físico e etc.. Assim meus amigos, não existe fórmula mágica para o sucesso (pelo menos eu não conheço). Só uma observação, quanto mais se estuda, mais sorte se tem.

Gostaria também, de deixar uma última reflexão. Faça bom proveito daquilo que você tem de mais valioso, que o rico e o pobre tem igual, que não diferencia raça, cor ou credo: O TEMPO. As 24 horas do seu dia são únicas. Faça bom uso delas. Principalmente se a sua idéia for estudar para concurso. Principalmente se você trabalha e não pode só estudar. Principalmente se tiver família (filhos, cachorro, gato…). Principalmente se você for de família simples. Principalmente se você não tem outra forma de vencer na vida que não seja o estudo. Principalmente, e finalmente, se você for uma pessoa normal (igual a mim).

Hoje, ainda alimento um último sonho: ser servidor da Justiça Federal. E apesar de ter conhecido mais de 10 capitais prestando concursos para esse cargo, esse sonho ainda não se realizou. Mas estou feliz, porque sei que estou no caminho certo e que a cada dia essa vitória se aproxima. E apesar dos muitos anos de luta percebi algo simples: ainda falta estudar mais. Assim, quando os resultados não vierem, não culpe a Banca, a Lei de Cotas, a má sorte….simplesmente estude, estude e estude. E viva também, afinal, o dia de hoje não volta amanhã.

Por último amigos, quando chegar ao seu objetivo, não esqueça do seu irmão mais necessitado. Retribua a eles aquilo que Deus lhe deu. Aliás, se você não acredita em Deus, estude dobrado, pois você não terá ninguém para pedir ajuda nos momentos difíceis. Mas como diz o mestre Willian Douglas, “…ateu também passa em concurso, é só estudar!”.

É isso gente. Esse sou eu. Alberto (Betão para os amigos), casado com uma esposa linda, pai da Mel (minha cachorra/filha), caipira com muito “orguio”, um cara que adora tomar cerveja e cachaça com os amigos, mas acima de tudo, uma pessoa determinada que quis melhorar sua condição social. Não para ser “rico”, mas para ter uma vida mais digna.

“Confia no Senhor as tuas obras e teus planos serão estabelecidos” (Provérbios 16:3)

Deixe um comentário