Conheça a Técnica do Chute Consciente!


Você já deve ter ouvido falar de muitas técnicas a respeito de chutes e de como se dar bem em provas. Mas na hora de um concurso é o momento certo para se valer das melhores técnicas que formam um conjunto chamado: Chute Consciente.

Se você souber usá-las, provavelmente terá muito sucesso em suas provas, supondo que você estudou para o assunto, não é mesmo? Então, a primeira lição é sempre essa: estude muito, mas muito mesmo, absorva todo o conteúdo que foi pedido e destacado nos editais.

E como todo mundo sabe que conhecimento e dedicação não são as únicas coisas desejadas na hora de uma prova importante como essa, você terá que desenvolver sua perspicácia. E aí que o conjunto da técnica do chute entra.

A ELIMINAÇÃO DO QUE É COM CERTEZA ERRADO

Para começar, vamos falar da técnica de eliminação de respostas erradas. Sabe aqueles programas de perguntas que existem na televisão? Sempre há uma opção de tirar algumas alternativas erradas, facilitando a escolha do candidato na hora de responder, não é mesmo? A mesma coisa funciona aqui. Com o seu conhecimento, você vai retirar as alternativas que não se adequam ao que foi pedido no enunciado e a partir disso, a sua visão vai se restringir a apenas duas ou três alternativas, normalmente.

Conheça a Técnica do Chute Consciente

O legal disso tudo é que o método de eliminação progride para uma fase bem mais profundo que a anterior. Ele procura por cascas de banana. As famosas cascas de banana. Porque o que acontece é o seguinte, pessoal. O que é mais fácil achar numa questão de múltipla escolha, respostas corretas ou incorretas? Bem, baseando-se na maioria dos enunciados, facilmente você encontrará respostas incorretas, geralmente quatro delas. Ao invés de procurar agulha no palheiro, você vai procurando as palhas, retirando-as, até achar a tal da agulha.

Faça o mais simples, sempre. Leia bem as alternativas e procure os erros nela. Em muitas das vezes você não saberá se o que aquela alternativa quer dizer é verdade e correto, mas você pode identificar alguns errinhos que existem nela, o que configura um chute consciente. Outro fato interessante é que moldamos a nossa mente para procurar por acertos, o que é de menor número numa prova. Afinal, lembrando-se novamente, para cada resposta correta existem três ou quatro erradas.

A lição que tiramos daqui é: procure pelo erro e não pelo o que é correto. E agora entramos em outro ponto interessantíssimo: qual é o padrão de erro das bancas? Incrível como podemos tirar tantas coisas de apenas uma técnica.

Um dos padrões mais gritantes entre vestibulares e concursos é a moral e os bons costumes. Você nunca vai ver uma alternativa correta que nem de longe chegue a aludir alguma espécie de desrespeito sociocultural. Portanto, sempre se atenha aos bons costumes. Geralmente você pode encontrar alternativas absurdas e com algumas coisinhas que podem ser contrárias aos direitos humanos e sociais. Essas alternativas, nem precisamos dizer mas vamos mesmo assim, com toda a certeza estarão erradas.

Uma boa dica para aproveitar mais dessa ideia de moral e bons costumes e dar uma olhada no material que a banca indica para tal concurso e para o assunto que vai cair na prova. Veja com qual tipo de “moral” esse assunto é compatível e faça a sua prova prevenido.

Outra questão que dá muito na cara em provas são aquelas excludentes. Se você perceber que alguma alternativa está bem corretinha, mas vem acompanhada de palavras como “sempre, nunca, jamais”, pode ficar de olho, pois essa resposta tem tendência a ser a errada. Em concursos da área de Direito, por exemplo, que é a maioria, não se pode trabalhar com limitações e exclusões, afirmações que determinam algo e não há mais conversa sobre. Áreas que tratam sobre o governo e a humanidade trabalham com uma flexibilidade, não tão intensa assim, é claro, acerca de diversos pontos, pois há muitas exceções para as regras criadas entre os seres humanos. Então, fique atento.

UM CHUTE CONSCIENTE PARA QUEM NÃO ESTUDOU TANTO

As letras que você marca geralmente já estão pré-determinadas a serem erradas. Geralmente. É o que acontece com a alternativa “a”, por exemplo. Por ser a primeira e porque o cérebro em dúvida geralmente fica com a primeira coisa que viu, a alternativa se torna naquela que mais recebe as cascas com banana.

Portanto, sempre que for marcar algo na letra “a”, pense mais um pouco, analise as alternativas, tente o método de exclusão. Claro que se você tiver convicção nessa opção, é seu dever confiar em si mesmo. Mas nunca deixe de lado uma segunda conferida.

Outro ponto importantíssimo: se você está repetindo letras no gabarito, pode ter certeza que deverá ter um punhado delas que são erradas. Por isso, quando estiver em dúvida ao marcar uma questão, olhe para o seu gabarito e escolha a alternativa que menos apareceu. É claro que estamos falando de probabilidades, afinal, quando se trata de chutes conscientes, é só o que o podemos falar.

Mas, entenda que na maioria das vezes, só o conhecimento não é o suficiente para não cair nos truques das bancas examinadoras. Você precisa estar atento a tudo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *